20 de julho de 2010

Fearnet entrevista Julia Jones

Trazemos agora para vocês uma entrevista com a Julia Jones, também conhecida como a nossa Leah Clearwater. Confira tudo no “Continue Lendo”.

Entre os novos personagens de Eclipse está Leah Clearwater, a única loba da matilha. Dá mesmo para entender por que ela não gosta dessa sua nova vida: você também odiaria saber que seu namorado lobo te trocou por sua melhor amiga e você é forçada a se unir à sua matilha (e ouvir seus pensamentos) por toda a eternidade.

Essa hostilidade permanece em cena entre Leah e Bella Swan (Kristen Stewart), a heroína da Saga Crepúsculo que até agora não tinha dado nenhuma chance ao pobre lobo Jacob Black (Taylor Lautner). Leah, interpretada pela atriz de 29 anos Julia Jones (Jonah Rex), é completamente ressentida como imaginávamos, atormentada pela experiência de acabar em seu próprio triângulo amoroso ao lado de Sam e Emily, e desesperada para provar a si mesma que é uma nova integrante da matilha.
Pessoalmente, Julia Jones não poderia estar mais longe de ser parecida com sua personagem, apesar de entender a hostilidade de Leah contra o mundo. Conversei com a atriz sobre sua personagem, ela falou de seus colegas de elenco e do seu papel em Jonah Hex (infelizmente, suas cenas foram cortadas da versão de cinema do filme). Ela elogiou seu colega Taylor Lautner, com quem ficará mais próxima nas filmagens de Amanhecer e contou como se preparou para sua personagem em Eclipse. Apesar de concordar que há algumas desvantagens em ser uma loba – ficar nua na floresta após voltar à sua forma humana – ela está ansiosa para fazer de Leah uma loba durona nas próximas sequências daSaga.
Descreva como foi sua audição para o papel de Leah Clearwater.
Eu já conhecia a diretora de elenco, Rene Haynes, há alguns anos, ela me escalou no último minuto. Eu fui até lá e me apresentei para ela e para o David Slade, passei 20 minutos trabalhando na personagem e imaginando como ela seria, e voltei para lá uma semana depois e me apresentei novamente para eles junto a alguns produtores. Então tive que esperar um mês inteiro e eles me ligaram, depois tive que esperar mais um mês para poder contar a alguém. Foi normal no começo, e bizarro depois.
Quais cenas você  leu no processo da audição?
Foi uma cena tirada do Amanhecer. A cena na qual eu digo ao Jacob que quero entrar para sua matilha.
Isso é algo que não vemos a hora de assistir – você e o Jacob saírem da matilha e formarem a sua própria. Você conseguiu conhecer melhor o Taylor enquanto filmava Eclipse?
Sim, nós trabalhamos juntos e saímos algumas vezes durante as filmagens, e eu sempre o vejo em Los Angeles. Adoro o Taylor. Uma coisa que acho que as pessoas não veem é como ele é inteligente, acho que prestam tanta atenção em seu corpo e em como ele é lindo e tudo mais, mas eu tenho um tremendo respeito por ele. Ele é um garoto muito inteligente e incrivelmente talentoso, responsável…
Os lobisomens de Crepúsculo são animais muito próximos, tão próximos que podem ouvir o que o outro pensa. O que os membros da matilha faziam no set para se unirem assim como são nos livros?
Passamos muito tempo juntos. Os meninos malhavam juntos, todos eles iam à academia ao menos uma vez ao dia. E eu provavelmente almocei a maioria das vezes com pelo menos algum deles. Fomos jogar boliche, fomos ao cinema… fizemos coisas normais e divertidas juntos. Andamos muito por Vancouver porque é um lugar lindo para fazer isso.
Você  e o Boo Boo Stewart são novos no elenco, interpretando as novas adições da matilha como irmão e irmã.
Acho que o Boo Boo só aparece em uma cena. Espero trabalhar mais com ele em Amanhecer, ele é muito divertido. Tenho um irmão mais novo também, então estou familiarizada com isso, e eu amo meu irmão mais novo e seria divertido filmar com um nos próximos dois filmes.
Quando vemos Leah pela primeira vez, sua linguagem corporal e atitude são hostis com a Bella… o que você  fez para representar essa fisicalidade da Leah, a de uma mulher que acabou de virar uma loba?
Essa é uma boa pergunta e nunca ninguém me perguntou isso. Isso é algo muito grande. Foi, eu diria, uma das maiores coisas que descobri nela. A coisa mais óbvia dita nos livros, é que ela está sempre de cara feia: sempre brava, isso faz parte dela. Honestamente, eu assisti aos lobos – gravações maravilhosas do YouTube – e havia um programa no qual um homem vivia entre eles. Ele se infiltrou em uma matilha e virou o alfa entre eles. É um programa longo, e o assisti várias vezes… mostra como os lobos se movimentam, como eles se ajudam, como reagem a certas coisas, e comecei a passar isso para a Leah.
Outra coisa sobre ela é que acho que ela tem uma certa aversão de si. As questões de auto estima que justificam tudo aquilo pelo qual ela está passando – e isso acaba sendo refletido em seu corpo também. Fisicamente, são coisas que na maioria das vezes você quer esconder. Você não se sente confortável em seu corpo, você não sente que pertence a ele, que se encaixa nele.
Vamos falar dos motivos que tornam a Leah tão amarga – dada a situação do Sam e da Emily, eu diria que sua hostilidade é totalmente compreensível.
Ela é tão segura! Não consigo pensar em outra pessoa, humana ou sobre-humana, que tenha mais razões para ser amarga e nervosa como a Leah Clearwater. Primeiro de tudo, o amor de sua vida sofreu um imprinting por sua melhor amiga, e ela tem que viver com isso — tem que ouvir os pensamentos daquele que ama por sua melhor amiga, e isso é algo horrível para ela. Não sei o que é pior, isso ou o fato dela ter virada uma loba. Acho que isso acaba com qualquer um! Mas aí tem a história dos Cullen, começamos a nos transformar novamente e como são muitos Cullen, todos estão envolvidos nisso. Eu tinha a linhagem certa, apesar de ser uma garota, e começo a mudar também. Pode imaginar algo assim? Algo tão assustador e físico assim já aconteceu com você? Não diria que se eu quebrar uma unha eu ficaria louca, mas se aparecer uma espinha eu fico doida. Não consigo imaginar se a situação fosse virar uma loba!
Especialmente quando toda vez que você se transforma, você  rasga todas suas roupas!
Sim – você rasga todas suas roupas e quando volta você fica nua? Ah, meu Deus!
Por outro lado, é ótimo ver uma loba de volta à cultura pop.
É o máximo. Acho que os próximos filmes serão mais legais ainda, mas há um lado da Leah que é super competitivo, e gosto dessa coisa dela querer ser mais rápida que os meninos – esse é seu jeito de se impor perante eles. Ela quer se encaixar.
Nós também te veremos em Jonah Hex, no qual você interpreta a mulher do Jonah que acaba sendo morta pelo personagem do John Malkovich, e o leva a querer vingança. Como foi sua participação nesse filme, e qual a história dele? [Nota: Após ter visto o filme, parece que a personagem de Jones foi editada, mas sempre há o DVD.]
Estou um pouco no começo, e o Jonah chega a um ponto que não consegue mais lidar com nada. Ele tem esse dom de ir para outro mundo e eu volto para ajudá-lo nisso. Não assisti ao filme e não sei como ficou, mas ela é uma personagem um pouco onisciente. Na verdade, ela o conhece muito bem e sabe que ele andou fazendo coisas más, e que ele não é assim, e ele tem a chance de fazer algo bom. Ela é o tipo de pessoa que o conhece melhor e que o ama, ela o coloca no caminho certo e o deixa ir. Acho que isso foi a coisa mais difícil que fiz como atriz, lidar com essa situação. Você tem que amá-lo muito para deixá-lo ir. Quando ela aparece para ele, ele está quase morto, está para morrer e o dilema que a Cassie enfrenta é se quer ou não deixá-lo ir. Mas ela o ama o suficiente para dizer não, você tem que voltar e fazer a coisa certa.
Eclipse será seu terceiro filme nesse gênero, há algum que te agrada em especial.
Eu gosto de gêneros diferentes de filmes. Eu gosto disso porque é como se fosse um quadro no qual você pode desenhar, e você tem um público que o segue nesse estilo. Eu posso tirar muito desse tipo de filme e de lá você expande a coisa toda e usa sua imaginação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário