20 de junho de 2010

Nova Entrevista do Rob para o The Daily Telegraph

Dado o fenomenal sucesso internacional de “Crepúsculo,” é difícil imaginar que o próximo fascículo dos filmes de vampiro poderia ser um fiasco de bilheteria.
Mas Robert Pattinson não está garantindo nada sobre a noite do lançamento de “Eclipse.”
“Para ser honesto, eu estou aterrorizado de que será lançado e ninguém vá assistir,” disse Pattinson.


Falando ao telefone enquanto dirigia na auto-estrada Californiana, Pattinson é refrescantemente pés no chão, muito distante da expectativa que envolve o seu status de galã de Hollywood. O seu som nasal americano de “Crepúsculo” é substituído por seus educados e amigáveis tons britânicos e ele parece genuinamente entusiasmado para um papo – apesar de sua reputação de ser tão taciturno quanto o seu personagem de “Crepúsculo”, o misterioso Edward Cullen. Ele soa um tanto lisonjeado, embora cauteloso, quando este repórter admite ser um ávido fã de “Crepúsculo.”
“Você já fez uma entrevista com um jornalista que fosse um louco fã de Crepúsculo?” eu disse.
“Eu acho que eu fiz uma,” ele medita. “Ela era do Vietnã e ela estava tendo um grande ataque de pânico na entrevista, o que foi bem engraçado.” 
Com dois filmes blockbusters já no currículo do ator de 24 anos, três mais a saírem e milhões de fãs adoradoras, Pattinson tem Hollywood a seus pés.
Os primeiros dois filmes, “Crepúsculo” e “Lua Nova,” quebraram incontáveis recordes, arrecadando mais de 60 milhões de dólares apenas na Austrália e 1,3 bilhões de dólares em torno do mundo. O sucesso foi inicialmente baseado na sequência dos romances de Stephenie Meyer, os quais centram no personagem de Pattinson, Edward, o seu mortal interesse amoroso Bella Swan (interpretada por Kristen Stewart) e um lobisomem chamado Jacob (interpretado por Taylor Lautner), que também está competindo pelo amor de Bella.
O mais novo fascículo, dirigido por David Slade, é levemente mais obscuro do que os dois primeiros, com um elenco maior, o qual inclui o australiano Xavier Samuel, cujo personagem Riley lidera um exército de vampiros recém-nascidos a uma matança descontrolada em Seattle.
“Há mais ação neste e eu acho que é obscuro e mais violento, mas eu sempre achei que o tom de ‘Lua Nova’ fosse bem obscuro,” diz Pattinson.
A fama relativamente recém-descoberta do ator trouxe com ela uma atenção não desejada a sua vida pessoal, em particular ao seu muito falado relacionamento com a co-estrela Stewart.
*“É extremamente difícil, mas nós estamos juntos, sim,” ele contou a um tablóide britânico no início deste ano, dando à mídia a primeira prova real de que o par é, de fato, um casal fora das telas.
*Tal depoimento já foi provado como falso.
O astro intensamente privado se recusa a dar a imprensa qualquer informação sobre o seu relacionamento – nem por uma grande quantia em dinheiro que as revistas de fofocas talvez seja oferecida ao casal.
“Eu não entendo porque algumas pessoas vendem histórias, pois isso só acaba em tristeza para você mesmo. Eu tento evitar isso,” ele diz. “Isso se torna sobre dinheiro, e assim que você começa a vender a sua vida de verdade então você está descendo por uma estrada muito ruim.”
“Enquanto você mantiver o seu trabalho e a sua vida separados, você é muito mais feliz, e é muito mais fácil lidar com as coisas e é muito mais fácil escapar.”
Pattinson, cujo cabelo desgrenhado e penetrantes olhos azuis acinzentados asseguram a ele vagas nos topos das listas dos “mais sexies,” não consegue entender o rebuliço, confuso pela atenção sobre a sua aparência.
“Eu me lembro de quando eu cortei o meu cabelo e estava na CNN,” ele disse. “Eles não tem nada melhor sobre o que falar? É bem engraçado.”
Pattinson cortou as suas mechas para o seu mais novo filme “Water for Elephants,” no qual ele interpreta um estudante de veterinária trabalhando num circo que se apaixona por uma equitadora, interpretada por Reese Witherspoon.
“Toda a mentalidade do personagem é completamente diferente do Edward e eu realmente não tive uma grande quantidade de tempo para me preparar para isso,” ele diz.
Foram as filmagens desse filme que impediram Pattinson de visitar Sydney com Lautner e Stewart no início deste mês para promover o novo filme de “Crepúsculo.”
“Eu nunca estive na Austrália, mas vários dos meus melhores amigos da escola se mudaram para lá, para Melbourne,” ele diz
animadamente, usando a nossa conversa como uma oportunidade de entrar em contato com um amigo perdido.
“Se Charlie está lendo isso, diga a ele para me ligar,” ele diz. “Nós costumávamos manter contato via Facebook, mas eu realmente não posso mais ter Facebook porque ficar sendo hackeado, então eu não falo com ele há algum tempo. Diga a ele para ligar pra minha mãe, pois ele provavelmente ainda tem o número.”
Quanto a trabalhos futuros, há a forte possibilidade de que ele não fique na frente das câmeras para sempre.
“Eu realmente gosto disso (atuar), mas há muitas outras coisas que eu quero fazer também. Eu realmente quero produzir um filme,” ele admite.
Quanto a se ele irá sentir falta de interpretar Edward depois que o filme final da série, “Amanhecer,” estiver completo, os sentimentos do ator são misturados: “Eu não sei. Eu fiz algumas fotos para ‘Eclipse’ há algumas semanas e realmente pareceu familiar… eu acho que eu vou sentir um pouco de falta quando estiver terminado.”
Mas há um elemento que ele não ficará triste em deixar para trás: “As lentes de contato são as coisas mais irritantes de colocar a cada manhã.”
No entanto, ainda falta muito tempo, pois a produção de “Amanhecer” só começará mais tarde deste ano.
“Eu aposto com você que a próxima coisa que vou fazer será um papel protético-pesado, interpretando uma vaca ou algo assim.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário