6 de junho de 2010

Crítica de A Breve Segunda Vida de Bree Tanner


Apontar um dedo para a natureza atraente das histórias de Stephenie Meyer é difícil. Os personagens dela são, quando se destinam a ser, tão envolventes e comunicativos que eles literalmente saem das páginas. O enredo, o diálogo, as localizações, e todos os outros detalhes ornamentados são tão intrincadamente e tediosamente entrelaçados nessa corajosa mitologia única que os livros são literalmente transformadores e se tornam parte do leitor. Ainda mais, Stephenie Meyer tem uma habilidade de nunca deixar para trás o elemento mais humanístico das pessoas, sejam essas pessoas vampiros, lobisomens, ou alienígenas…amor.
Tal é o caso com seu o mais novo livro, “A Breve Segunda Vida de Bree Tanner: Um Conto de Eclipse.” Com ele, Meyer efetivamente transformou uma personagem pequena, aparentemente sem importância do seu trabalho anterior, “Eclipse,” no novo par de lentes através do qual nós vemos uma porção intrigante da saga “Crepúsculo.”

Bree Tanner nos leva de volta a história de Eclipse, só que desta vez, nós estamos lendo da perspectiva de Bree.
Como ela explica no material introdutório ao texto, Bree era uma personagem muito secundária antes, e o máximo que aprendemos sobre ela até este conto, foi que ela era uma recém-nascida insaciável que se rendeu aos Cullens (embora os detalhes fossem escassos sobre esse encontro), mas ainda assim foi condenada pelas forças da lei. A significância de Bree, ao que parece, foi que ela era como um vidro transparente para as auto-expectativas de Bella sobre o seu próprio futuro como uma recém-nascida.

O que a história de Bree Tanner nos deu, no entanto, é um mundo que é, a moda clássica de Stephenie Meyer, eloquentemente conectado a história que nós já (em parte) conhecíamos e ainda assim é [uma história] muito nova.
Sem divulgar detalhes demais sobre a história (particularmente porque o maior prazer de ler foi vivenciar as surpresas do conto em primeira mão), deve ser dito que até aqueles fãs de “Crepúsculo” que estavam em cima do muro sobre ler isso – pelo fato de que era sobre uma personagem com quem eles nunca tiveram a chance de se importar – irão amar.
É carregado com mistério excitante, intriga inteligente, e um olhar totalmente novo em alguns dos nossos personagens favoritos da série Crepúsculo. Aprender sobre o outro lado da briga em Eclipse é, pois, uma porção da ameaça oferecida aqui, conforme nós passamos a saber como Bree foi parar naquela clareira naquele dia fatal.
Alguns dos outros personagens que nós mal pudemos conhecer retornam em uma vista completa, e alguns novos, pessoas persuasivas são trazidas à frente também. Mais interessante, a história providencia uma complacente, inesperada agitação aos eventos de “Eclipse” que junta os pedaços de alguns finais não notados e torna a história ainda mais sólida. De partir o coração, excitante e tão revigorante, a história de Bree Tanner é um “precisa-se-ler” para qualquer fã de Crepúsculo.

Um comentário:

iacris disse...

eu kero muito ler ..

Postar um comentário